Embaixadores Africanos Jovens Pela Paz (AYAP)

Prazo para Apresentação de Candidaturas: 15th Sep 2019, 23:59 Hora de Adis Abeba

Notas Introdutórias

A Comissão da União Africana, através do Programa Africano Jovens pela Paz (Y4P) do Departamento de Paz e Segurança pretende nomear um Embaixador Africano Jovem pela Paz (AYAP), por cada uma das cinco (5) regiões de África. Esta iniciativa está em conformidade com a decisão do Conselho de Paz e Segurança (CPS) expressa através do Comunicado emanado da 807a Reunião decorrida em 08 de Novembro de 2018 sobre os Jovens, Paz e Segurança. O Conselho solicitou à Comissão da UA para que nomeasse o AYAP para trabalhar com o Enviado da UA para Juventude na defesa e promoção da paz e segurança em todo continente. Neste contexto, o Departamento de Paz e Seguranca, deseja, por este meio, lançar um convite aos jovens africanos elegíveis à apresentação de candidaturas.

O AYAP, sob a supervisão directa da Direcção do Departamento de Paz e Segurança da CUA, irá defender a promoção da advocacia da participação juvenil em questões de paz e segurança a nível regional e de todo o território de África. De modo específico, o AYAP irá promover a actualização das cinco áreas prioritárias do Quadro Continental sobre os Jovens, Paz e Segurança, que são orientadas pelo Artigo 17o da Carta da UA sobre a Juventude (2006) e pela resolução do Conselho de Segurança das Nações Unidas (CSNU) 2250 (2015) – (Vide os Termos de Referência na Secção IIII para orientação). 

Critérios e Qualificações

Os candidatos devem ser Jovens Africanos com engajamento comprovado e contribuição significativa em prol da promoção da paz e segurança sustentável. Incentivámos, de modo particular, o envio de candidaturas de jovens elegíveis, incluindo as mulheres jovens, pessoas deslocadas e portadoras de deficiência, que satisfaçam os seguintes requisitos: 

  • Devem ser de idade compreendida entre 15 a 35 anos em conformidade com o grupo etário da juventude da UA;
  • Possuir o grau de licenciatura em relações internacionais, paz e conflicto, ciências políticas, direito e áreas associadas; o grau de mestrado seria uma mais-valia; ou
  • Possuir, no mínimo, 2 anos de experiência comprovada nas áreas de paz e segurança com abilidade para realizar advocacia nas áreas de juventude, paz e segurança, bem como na mobilização de recursos.
  • Possuir experiência na promoção e prestação de apoio aos processos de paz, em particular, na iniciação e viabilização de diálogo multi-sectorial e esforços de mediação.
  • Possuir uma trajectória de sucesso junto da comunidade / área local onde ele / ela trabalha;
  • Possuir excelentes capacidades de comunicação e de advocacia;
  • As línguas de trabalho da UA são:
    Inglês, Francês, Árabe e o Português. Devem ser fluentes em qualquer das línguas de trabalho da UA; possuir conhecimento de outra língua da UA seria uma mais-valia.

Termos de Referência:

As tarefas específicas do AYAP são baseadas no Artigo 17o da Carta Africana sobre Juventude e na Resolução do CSNU 2250 nos seguintes termos:

  • Participação: advogar e promover a participação activa e significativa dos jovens à todos os níveis decisórios, de formulação de políticas, implementação e monitorização das decisões/acordos sobre paz e segurança; apoiar a cooperação multisectorial como uma abordagem abrangente às questões sobre os jovens e a remoção de barreiras estruturais à participação juvenil; e prestação de apoio na concepção e implementação dos planos de acção nacionais destinados a incentivar a participação juvenil significativa nas áreas de Paz e Segurança através de estrutura nacionais e regionais. 
  • Prevenção: promover e reforçar a capacidade dos jovens sobre a prevenção através de educação sobre a paz, prestação de apoio à criação e implementação de arquitecturas de paz; viabilizar os pontos de acesso para que a juventude competente possa realizar actividades de prevenção de violência, incluindo liderado por jovens ou apoio ao processos de diálogo e mediação; reforçar o potencial da juventude mediante a prestação de apoio para o estabelecimento de investimentos e fundos que permitam a inclusão dos jovens em diferentes projectos para garantir o acesso à educação, a formação profissional, bem como as oportunidades de emprego, com vista a reduzir o desemprego jovem e suas vulnerabilidades inerentes à exploração, manipulação, a radicalização e o recrutamento pelos grupos extremistas, criminosos e armados. 
  • Protecção defender e promover o cumprimento dos direitos internacionais, humanitário e humanos para garantir a protecção dos jovens durante os conflitos armados e criar condições para a circulação segura e reinstalação dos deslocados, destinados a mitigar o risco de recrutamento forçado, bem como a violência sexual e baseada no género.
  • Parceria e Coordenação: criar condições para a coordenação e comunicação eficazes entre os jovens e as partes interessadas relevantes sobre planeamento e avaliação das intervenções para promover a paz e segurança; promover o aumento do apoio político, financeiro e técnico coordenado e sustentado para reforçar as iniciativas lideradas por jovens no domínio de paz e segurança.
  • Desmobilização e Reabilitação: Promover programas destinados ao repatriamento, reassentamento, desarmamento, desmobilização, reintegração e reabilitação eficazes dos jovens contra os grupos armados ou extremistas. Promover a formação de jovens para apoiar as actividades de reconstrução e estabilização das áreas afectadas pela guerra, incluindo, assegurar que as necessidades específicas das mulheres e homens jovens sejam satisfeitas; promover o reforço das capacidades dos jovens para prestarem assistência de emergências e recuperação em situações de conflito e pós-conflito.

Registro encerrado.